domingo, 28 de dezembro de 2008

LIÇÃO DE MINEIRO

Do empresário Lúcio Costa, publicado no jornal Estado de Minas de hoje, 28/12/2008:

"Assisto à queima de fogos de vizinhos, pois não gosto de pôr fogo em dinheiro".

BOA CONVERSA 1


Leitura emocionante e indispensável para quem gosta de cinema, faz ou vai fazer. CONVERSAS COM WOODY ALLEN.

quinta-feira, 25 de dezembro de 2008

BOA CONVERSA

Para quem gosta de saber um pouco sobre o trabalho e o pensamento de nomes importantes do cinema internacional: CONVERSAS COM WOODY ALLEN, de Eric Lax, editado pela Cosac Naify.

PRESENTE DE AMIGO

Recebo da COLOMBO MCP, de Itabira, um presente de Natal criativo e emotivo. Num estojo, um jogo-da-velha. Na tampa está escrito: " A parceria é a melhor jogada para enfrentar os desafios".A COLOMBO MCP, sediada em Itabira e competente para qualquer parte do Brasil, tem uma estrutura enxuta e eficiente. E ganhadora de prêmios, também.Com certeza, Peron Colombo. Desde 2004 estamos enfrentando e vencendo alguns desafios. Obrigado pelo presente. Obrigado pela oportunidade de aprender com você e sua equipe.

SIMPLICIDADE E EMOÇÃO

Assisti ao programa TVX - Especial de Natal(TV Horizonte- Canal 19UHF). Sei das dificuldades de se realizar uma produção em BH. Mas, apesar de tudo, o programa conseguiu fazer o que todo programa infantil com a proposta que tem o TVX, na emissora que pertence a arquidiocese da capital mineira, precisa fazer: ser simples e emocionante. Atenção especial para a história de Maria e José, a visita de Jesus, e sobre as pessoas que fazem a alegria de outros(no caso o corpo administrativo e clínico do Hospital da Baleia). Edição carinhosa, efeitos especiais, especiais. Cortes , texto e diálogos interessantes. Participação efetiva e inteligente das crianças. Parabéns aos técnicos, à produção. Parabéns para a Rúbia e Popó. Parabéns para Luciana Katahira, roteirista e diretora. Parabéns para a TV Horizonte que ainda acredita da criatividade e no talento dos profissionais mineiros.

domingo, 21 de dezembro de 2008

CAMINHANDO CONTRA O VENTO


BOA MÚSICA DE NATAL


Para quem é saudosista e aprecia momentos de paz e felicidade durante os festejos natalinos, vai essa sugestão: THE PERRY COMO CHRISTMAS ALBUM . Ele - morto em 2001 - canta maravilhosamente bem um repertório de primeira. Acima, uma foto da capa do vinil. VINIL?!

LEMBRANÇAS DE OUTROS NATAIS

Menu


Banquete de picanha e pizza caseira.
Mãe ainda assa empadinhas com o mesmo molho de hoje.
Não entendia de culinária mas meu estomago é de festa e crença em Natal.
Mãe ainda cozinha o mesmo molho mas não faz a mesma massa.
Não é mais da massa.
É dos “vicentinhos” e das hipocrisias da Igreja.
Continuo acreditando em Natal.
Também aprendi que sou alma pequena.
Minha insignificância vale a pena.

A MORTE DE UM POETA DA NATUREZA

Assisto ao MGTV-2a.edição. Gosto muito das reportagens do Luiz Gustavo - um grande jornalista e ótima pessoa que conheci em Governador Valadares pelos idos de 1988. Mas, hoje, vem a notícia da morte do Professor Hugo Werneck. A natureza, os animais, o meio ambiente perdem um de seus grandes poetas, pois só pode ser poeta quem se atreve a tomar para si a defesa de tais bandeiras.

Eu o conheci na época que fazia o programa Gente, na TV Horizonte. Fui entrevistá-lo em sua sala, na Fundação Zoobotânia. Generoso, digno e corajoso, o professor falou de sua vida, seus familiares, sua primeira esposa(récem-falecida à epoca da entrevista) e muito, muito sobre o homem, a natureza e o nosso planeta.

Dessa entrevista foram editados três programas de 45 minutos cada(se não estou enganado). De tantas coisas espetaculares que ouvi, duas me vêm de estalo: " de agora em diante, todas as vezes que você ouvir uma cigarra cantando, você vai se lembrar de mim" ; " se marcarmos de vermelho todos os pontos do planeta onde existe um conflito, uma guerra, um astronauta não repetiria mas a frase " a Terra é azul".

No meu coração, querido mestre - que só vi mais uma vez almoçando na cantina da dona Eni, no extinto SDV, próximo ao zoológico - uma cigarra estará sempre cantando.

Com certeza o Professor Hugo Werneck deve estar preparando algumas reformas para a natureza do céu.

PARA QUEM ACREDITA EM PAPAI NOEL

Uma ligação telefônica entusiasmada. Do outro lado, a voz feliz da jornalista,atriz,produtora,roteirista e diretora de programas, Luciana Katahira. Ela me conta que estava pronto o programa especial de natal do TVX (da grade da TV Horizonte - canal 19 UHF) Apesar das dificuldades que enfrenta a produção mineira(principalmente a falta de patrocínio), o TVX ( como também o Cidade da Gente, Este bicho é o bicho, o Grafite(Tv Alterosa) o Balaio(Rede Super) aínda é um sopro de esperança.

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

PRA NÃO DIZER QUE NÃO FALEI DE MINÉRIO

Artifício criado pelo capital - que sempre privatiza o lucro e repassa o prejuízo(que nada mais é do que resultado da ganância desenfreada, da especulação e por aí vai), essa tal crise foi um achado para a Vale. Agora, através dessa "tragédia anunciada", vai promover seus ajustes e desajustes, à custa do sacrifício de milhares de trabalhadores. Em Itabira,Minas Gerais, berço ( e agora com encenação de "túmulo" da mineradora) a situação merece uma análise mais profunda. As representações sindicais não têm força - salvo a força do Paulinho , e estão querendo jogar a responsabilidade sobre o poder público. Aliás, é bom lembrar, o prefeito João Izael, reeleito para o mandato 2009/2012, vem agindo e decidindo com a lisura e a coragem que deve ter todo homem público que, antes de tudo é cidadão, pai de família e ...RESPONSÁVEL.

Mas toda essa escritura é para apresentar o artigo de jornalista Fernando Silva - será publicado no jornal Diário de Itabira de domingo, 21/12. Simples e elucidativo.Ponto Final.

O olho do furacão é aqui
Fernando Silva

As expressões que originam das bocas de João Izael, Paulo Soares e Ronaldo Magalhães, nesse momento, dão o que pensar. As expressões que se formam nos rostos dos três são sinais de intensas preocupações. E não é para menos.

Itabira está no olho do furacão da terrível crise econômica que assola o planeta, mais que qualquer outra cidade do Brasil. A terra de Drummond tem uma concorrente de peso internacional: a cidade norte-americana de Detroit, em Michigan, o paraíso planetário da indústria automobilística.

Na semana atrasada o governo federal, embora um pouco tardiamente, anunciou uma série de medidas para incrementar o crédito e incentivar o consumo. Houve uma resposta concreta e imediata em quase todas as partes do país.

Em Itabira, porém, o efeito prático da ação governamental foi quase nulo. E com razão. O trabalhador da Vale, o mais potencial consumidor dessas bandas, está jogando na retranca. Claro. O sujeito que se encontra com a corda no pescoço não mete as mãos nos bolsos. É uma atitude humana natural. O comércio não indica indícios de uma aceleração nas vendas típicas de finais de ano. A cidade tem tudo para entrar numa recessão particular, por meio de uma visível estagnação da atividade econômica.

Itabira já convive com a possibilidade de formação de dois tumores socioeconômicos com tendência a metástase: o desemprego em massa e uma acentuada queda na arrecadação da prefeitura. O primeiro é conseqüência da eterna dependência da atividade mineradora. O segundo também. Em suma, o quadro é de um mato- sem- cachorro. Não há solução em curto prazo para a encrenca. O funcionamento mais efetivo do campus avançado da Unifei- o torniquete para o sangramento provocado por essa monoeconomia- só apresentará os primeiros resultados dentro de três anos, aproximadamente. A Vale sinaliza com uma enxurrada de demissões, a partir dos primeiros meses do próximo ano.

O reflexo será instantâneo: algumas empresas prestadoras de serviços também tomarão medidas idênticas. A partir daí, vem o chamado efeito dominó. O trabalhador demitido, a princípio, arruma as malas e vai embora. Antes, porém, bota a empregada doméstica no olho da rua. Essa seqüência resulta numa bolha social bastante perigosa.

O outro “nó górdio” de Itabira é a arrecadação da administração pública. A mineradora anunciou uma retração de até 10% no seu índice de exportação. Em seguida, paralisou totalmente as atividades da usina de concentração do Cauê. Essa medida administrativa significa uma interrupção de até 50% na produção. Conseqüência: cerca 30 milhões de reais de impostos deixarão de entrar nos cofres da prefeitura, em 2009. Uma bomba. Hoje, a cidade tem um orçamento na casa de 200 milhões de reais. Desse valor, 40% já estão legalmente comprometidos com a Saúde e Educação. A folha de pagamento do funcionalismo público consome mais 33% desse montante. Restam, portanto, em torno de 25 milhões de reais para investimentos em obras e manutenção da estrutura de funcionamento da máquina administrativa.

Quer entender a dimensão do buraco? Retire os 30 milhões que a Vale não recolherá no próximo ano. Vai faltar “haver” e sobrar “dever”. É fácil, então, perceber o que acontecerá. Ainda bem que- aparentemente- Deus existe.

*PS: Com todo esse tsunami econômico, o presidente da Vale ainda acha tempo para brincadeiras. O executivo da mineradora propôs ao presidente Lula a suspensão temporária das Leis Trabalhistas. Caro Roger Agnelli, não se conta piada em cortejo fúnebre.

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

PARA SE VER EM UM DIA DE CHUVA


SE MEU APARTAMENTO FALASSE

Eis um filme delicioso de se assistir.
NESTE NATAL, BUSH NÃO VAI DEIXAR SEU SAPATINHO NA JANELA!!!
Por falar em sapatinho na janela,você se lembra daquela canção de natal que diz:
"Botei meu sapatinho
na janela do quintal.
Papai Noel deixou
meu presente de Natal.
Aí, eu pensei no Bush cantando uma versão pós-sapatada. Assim:
Tomei um sapatinho
nessa minha cara-de-pau.
Papai Noel iraquiano
é um homem muito mal.

domingo, 7 de dezembro de 2008


Violinos



Gosto do som dos violinos.
Fico tadinha nessas horas.
Ao som dos violinos conto histórias
e serei mulher do Espírito Santo.

Sou vã.
Meu presente é uma sopa aguada.
Mosca-morta.
Bóio meus destemperos.

Ao som dos violinos
ficarei grávida de Deus.
E o que é a dor
quando ela não dói em nós?
TEM GOSTO PARA TUDO!

Está no jornal HOJE EM DIA de hoje,domingo,07 de dezembro de 2008, no caderno Domingo, a seguinte reportagem de Augusto Franco:

" O nome engana, mas o Café...,produzido no Espírito Santo, é uma das mais finas iguarias gastronômicas do Brasil"("O sabor da bebida, mais encorpada e menos adstringente, chega a notas superiores a 90 em uma escala de 0 a 100")."Trata-se de um café especial, produzido, por incrível que pareça, do estrume dos jacus, uma espécie de pássaro preto, pouco maior que uma galinha, nativo da Mata Atlântica.

"A coisa funciona assim: o café, de qualidade arábica, é colocado em cumbucas que o jacu come, mas não digere as sementes. Depois, os funcionários colhem o estrume das aves, que é seco ao sol, esterilizado e embalado. A técnica é inspirada no café Kopi Luwak, o mais caro do mundo - o quilo pode chegar a custar 3 mil dólares - originário da ilha de Sumatra. Lá, é um gato selvagem, chamado Kopi Luwak, quem come e digere o café(...)".

É aquele negócio: se minhoca defeca terra é porque come terra. E a gente?!

terça-feira, 25 de novembro de 2008


REDES


Eu pesco não é por ganância de peixes;
escamas não compreendem carinhos.
Bom é brincar de espetar as águas
que elas parecem, tem horas, gelatina.
Outras, são só derramamentos.

Eu me despejo em benevolências
por essas coisas.

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Para sempre



Todos os retratos


as mãos que se servem do mesmo prato


o agasalho as costuras as tessituras


jasmins brincam de brancos


e se houver um pranto


a lágrima não será maior que o espanto


de entender que a razão do tanto


nunca será maior que o para sempre.

ROSAS PARA JOÃO

Se você quer ouvir boa música, sonora, festiva e poética então vale a pena dedicar um tempo para o cd ROSAS PARA JOÃO, de Renato Motha e Patrícia Lobato. Como diz Fernando Brant, anfitrião da peça e parceiro de Renato em "Tinha de ser", "mergulhar nos sons e nas palavras deles é embarcar em viagem venturosa, plena de prazeres". Com certeza. Mais informações no site www.renatomotha.com.br

SOU UM HOMEM INFIEL

O jornalista Fernando Silva lança, no dia 3 de dezembro , em Itabira, o livro SOU UM HOMEM INFIEL. Silva, que é assessor de comunicação da prefeitura do município, escreve todos os domingos para o Diário de Itabira. O livro reúne algumas dessas crônicas escritas durante o ano de 2007.

Com um estilo ora irônico, ora sensível e particular, o jornalista/cronista desenha, com talento e competência intelectual, um mosaico de impressões próprias de quem está presente no mundo, incomodado e apaixonado por ele.

Texto de mídia nacional, de leitura obrigatória.

terça-feira, 18 de novembro de 2008

Bem vindo ao Sítio do Timóteo



Por enquanto, nada a declarar.... Só esta foto.

Arquivo do blog