domingo, 31 de outubro de 2010

AUTENTICIDADES

VOCÊ ESTÁ SEMPRE COMIGO
QUANDO COMIGO NÃO ESTOU.

sábado, 30 de outubro de 2010

A RESPEITO DOS MORTOS

Também no meu desassossego, sem a competência- e pela alma tão pequena - de escrever um livro, como o fez Fernando Pessoa, sobre o tema, agora experimento uma sensação de morto. Ainda que vivo, não tenho certeza se vivo. De uma parte da vida, que acreditava maravilhosa e tão especial de se tornar concreta, mais uma vez me confirmaram a impossibilidade. Assim, experimento metades. Ora apareço, ora me esquecem.

PARA UMA TARDE DE SÁBADO ANTECIPANDO O DIA DOS MORTOS

CADA UM

Fernando Pessoa


Cada um cumpre o destino que lhe cumpre,
E deseja o destino que deseja;
Nem cumpre o que deseja,
Nem deseja o que cumpre.

Como as pedras na orla dos canteiros
O Fado nos dispõe, e ali ficamos;
Que a Sorte nos fez postos
Onde houvemos de sê-lo.

Não tenhamos melhor conhecimento
Do que nos coube que de que nos coube.
Cumpramos o que somos.
Nada mais nos é dado.

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

SÓ PRA NÃO PERDER O GANCHO

Com certeza, tem dias que a gente se sente como quem partiu ou morreu.

POR ESSAS E OUTRAS

Sabe quando a gente tem a sensação de que não existimos? Ou melhor, que existimos assim mais ou menos, de conveniência(dos outros)? É por essas e outras que aprendi
que realidade é um estado de ser. Inclusive não sendo e assistindo o to be dos outros.
Um amigo meu diz que bebe por causa disso. Para esquecer que o esqueceram quando ele só queria ser alguma coisa que não fosse esquecida. Ou melhor, lembrado só quando necessário. Para o outro.

É o que ouvi contar hoje. Um sujeito foi encontrado na rua sem qualquer documento, sem qualquer memória. Um sujeito sem. Só foi lembrado como um sujeito ser quando chamaram a polícia.Todo mundo perguntou-lhe o nome, ninguém lhe disse amor.

sábado, 23 de outubro de 2010

PENSANDO BEM...

A crônica , a seguir, é do Nelson Mota e foi publicada no site www.sintoniafina.com.br. Bom de serviço e de cidadania,
Nelson é contundente neste texto.

NÓS E ELES

Quando um candidato vence uma eleição com 50% dos votos mais um, isto também significa que metade dos eleitores, menos um, votou contra o vencedor. Nesse caso, no Brasil, seriam cerca de 60 milhões de cada lado. Ao contrário das frias porcentagens, esses números são quentes e assustadores se vistos como homens e mulheres, suas vidas e seus destinos.

Mesmo quando a diferença final é maior, talvez por fatores regionais ou conjunturais, por acidentes de percurso ou fatalidades, os eventuais 0,01%, ou 10% de diferença não dão ao eleito mais poderes dos que a Constituição lhe garante. Tão importante quanto a democracia ser o governo do povo, para o povo e pelo povo, como os políticos gostam de dizer, mas não de fazer, é que a vontade da maioria prevaleça – respeitando os direitos da minoria e a Constituição. Se não, é chavismo.

Mas até Chávez sabe que nem sempre a maioria tem razão ou toma as melhores decisões, só por estar em maior número, mas as consequências são sofridas por todos. Maiorias não são infalíveis, condenaram Jesus Cristo e apoiaram Hitler, os maiores massacres da História foram de maiorias contra minorias, impondo a lei do mais forte sobre a civilização. Acima das maiorias, que são eventuais e sujeitas a interesses políticos e fraquezas humanas, estão as instituições democráticas, que são permanentes e impessoais.

Urna não é tribunal e a vontade da maioria não absolve ninguém de nada que afronte a lei e o estado de direito. Em campanhas acirradas e marcadas por ofensas e denúncias entre os adversários, suas histórias pessoais e seus aliados, o dia da vitória pode ser a véspera de confrontos que envenenam a democracia, movidos por paixões humanas. Como na Argentina.

A euforia rancorosa do “agora é nós” e as eventuais ameaças contra os vencidos têm um encontro marcado com a realidade da partilha do poder com os aliados e suas ambições políticas e pessoais - que pode até dar saudades dos adversários. Vença quem for, vitórias construídas com alianças espúrias, mentiras e trapaças têm vida curta e antecipam derrotas das melhores esperanças da população.

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

MAIORIDADE

Meu filho caçula comemora, hoje, 18 anos. Conquista, pelo menos cronologicamente, sua maioridade. Perante a lei, torna-se responsável pelos seus atos. Perante ao pai, continuará sendo a mesma criança. Aliás, os meus cinco filhos - três meninas e dois meninos - serão sempre minhas crianças.

Mas o caçula - agora com 18 anos - me faz sentir ainda tão "novo", tão cheio de expectativas, tão emocionado com a vida. Sei que ele, como seus irmãos, continuará sendo uma pessoa linda, dócil, amiga, humilde, honesta e feliz.

Agora, é cuidar dos netos. Por enquanto dois mas...Bem, ainda sou um avô caçula, também.

domingo, 10 de outubro de 2010

DOMINGO DE SOL E...SOLIDÃO

Aproveito a manhã de sol pra adiantar um "para casa" de mi clase de español.Tenho que levar uma letra de música, sem algumas palavras, para que meus colegas completem, a partir da audição da mesma. Então, levo SILENCIO, uma composição de Rafael Hernández, interpretada por Ibrahim Ferrer e Omara Portuondo, que está no cd "Buena Vista Social Club presents Ibrahim Ferrer".Linda!

SILENCIO

Duermen em mi jardín
las blancas azucenas, los nardos y las rosas,
Mi alma muy triste e pesarosa
A las flores quiere ocultar su amargo dolor.

Yo no quiero que las flores sepan
los tormentos que me da la vida.
Si supieran lo que estoy sufriendo
Por mis penas llorarían también.

Silencio, que están durmiendo
los nardos y las azucenas.
No quiero que sepan mis penas
porque si me vem llorando
morirán.

sábado, 9 de outubro de 2010

PARA VER NO FERIADO

Meu amigo Alessandro Cerri me presenteou com umas indicações de filmes para ver em casa. Vi, chorei e ri. Passo pra quem quiser, entre uma oração e outra pra N.S.Aparecida, assistir:

NANOOK OF THE NORTH;
OS PESCADORES DE ARAN;
OS HOMENS QUE ENCARAVAM CABRAS.

Minha querida Luciana Katahira, entre outros, me presenteou com um filme maravilhoso:
O SEGREDO DOS SEUS OLHOS. Doce e dolorosa compreensão da vida e do tempo.

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

AMAR É ?

O amor é cego mas a razão, esperta e lúcida, costuma lembrar aos apaixonados de certos procedimentos e necessidades fundamentais para que o amor seja próspero e...eterno.Como dizia minha avó, “verdades pela metade, são metade de uma mentira”. Assim, amor de metades costuma fazer uma última partição que deixa as partes num beco sem saída.

Mais ou menos assim: em um instante o outro existe; depois não existe;depois existe de novo – ora você incensa, ora você exorciza - ora o outro vai junto, ora só vai o junto.

A PRESIDÊNCIA É O LIMTE

Anastasia, obrigatoriamente, governará Minas como o tapete mágico que conduzirá Aécio Neves à presidência da República. Minas Gerais encabeçará um novo movimento político de oposição, caso Serra não vença no segundo turno, dia 31/10. Com a derrota de Serra, Aécio( e seu fiel escudeiro, Anastasia – um grande cidadão, digno e ser humano da melhor qualidade - ) podem criar ou mudar de partido. Um espaço onde não serão mais coadjuvantes e nem forçados a conviver com temperamentos instáveis e ciúmes de última hora.

Assim, em 2014, Aécio disputará a presidência para “realizar o sonho não concretizado de Tancredo”, com a experiência e a sagacidade do avô.

Arquivo do blog