segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

EMBARQUE!


           Programa "Cidade da Gente" - Série "Colômbia surpreendente"
                                           Cartagena - 1a. parte

EMBARQUE!


                     Programa "Cidade da Gente" - Cartagena - 2a. parte

CONTOS DE FADAS


CONTOS DE FADAS

A moça rompeu um relacionamento. Melhor, quem queria o rompimento era ele. Mas, no melhor estilo Eastwood, deixou que ela chegasse a exasperação – ou desilusão, desânimo,desencanto, desgosto, descrédito, tanto faz – e tomasse frente. Acabou!Belémbelém,nunca mais te quero bem!

Para não deixar a autoestima se arrastar para o lixo das desventuras de amor, levantou, sacudiu  a poeira, deu a volta por cima e uma rasteira no passado. E vamos em frente!

Linda, ela. Jovem com os primeiros sinais do amadurecimento, olhos penetrantes, corpinho de afogar sereia, sedução, luxúria e uns tantos outros atributos qualitativos que lhe garantem um lugar ao lado de quem quer ser feliz amando e sendo amado.

Nessa lista, o nome dele. Que nem se fez de rogado. Tão logo a gracinha lhe contou o ocorrido, adiantou-se em  dizer que se fosse mais novo arriscava bater na porta da casa dela. Se deixassem entrar, só sairia com ela nos braços. Ou dentro de um caixão, se a conversa de amor eterno não vingasse. Mas a idade dele estava mais para pai dela do que para seu cavaleiro andante. Que ela encontrasse logo o seu príncipe encantado, desejou. De coração.Mesmo que enfeitiçado na forma de sapo em busca de um beijo salvador, retocou com uma dose de fantasia.

A ‘desprezada’ achou graça, que ele não era tão velho assim, que o pai dela tinha mais de sessenta e que ele, o galanteador, devia estar na casa dos quarenta…e poucos. Aí quem riu foi ele, “cinquenta e poucos você quer dizer”. E ela não riu e afirmou que “não tem nada a ver” – ou “haver”, dependendo das circunstâncias.

Nesse rumo, o ‘pai’ avisou que era um chato, insuportável ao ponto de não se olhar, certos dias, no espelho. A donzela confidenciou que acontecia-lhe o mesmo.

Então, antes que a encantadora criatura viesse até ele para resolver o impasse, o cidadão coaxou um “tchau” e voltou para debaixo da pedra.

sábado, 5 de janeiro de 2013

PAREDES



Me pergunto qual é o tamanho das minhas paredes?Altura?Largura?Espessura? Foram – ou estão sendo –  construídas para me proteger e aos meus? Para guardar os bens  materiais que acumulei – e estou acumulando – nesta minha passagem por estas terras?Para colocar cercas elétricas – ou cacos de vidro, ou ferros ponteagudos – no alto e cães ferozes do lado de dentro como garantias adicionais da minha fortaleza, erguida para me proteger e aos meus?

E se ergo paredes ao meu redor apenas para não ver os horizontes, para recolher minha covardia e mudar meu egoísmo de gaveta, enquanto invento uma desculpa para não ver,não falar,não ouvir ninguém? Será que neste compartimento não se acumula apenas pó, inutilidades, quinquilharias ainda nas embalagens, tecnologias de museu, as falsas conexões com o mundo e os meus sentidos desconectados da vida, circulando pela banda mais estreita da sobrevivência?

Altas demais para a nossa esperança e diminutas para a nossa soberba e nosso cada vez mais ranhento estranhamento com o que está ao nosso redor, as paredes nos impõem a disciplina de só olhar para baixo, de andarmos curvos e suspirantes de desânimo ou ansiosos e temerosos de que elas possam ruir e nos soterrar.

Menos enter e mais entre. Menos del e mais mel. Menos mapas e mais estradas.Menos quem sabe e mais eu vou.Menos amanhã e sempre agora. Com a alma armada e apontada para a cara do sossego, tomando de empréstimo a confissão do Rappa, ame mais.

Ame mais a si mesmo, ao amor do lado, aos amores em volta. Ame sua terra,ame seus sonhos,ame o dia de hoje “como se não houvesse amanhã”, sugere Renato Russo.Compre menos tijolos e mais bolo de chocolate, pão de queijo com linguiça.Compre um par de meias com listras amarelas e azuis e uma camiseta onde se lê que “amar se aprende amando”.Viaje.Ipoema,Senhora do Carmo,Santa Maria do Itabira,Itabira,Belo Horizonte,Piumhi,Itaú de Minas, Araçuaí, São Roque de Minas, Porto Alegre,Rio Branco,Cruzeiro do Sul,Xapuri,Brasília,Rio de Janeiro,São Paulo,Buenos Aires,Nova Iorque,Ulaanbaatar,Paris,Veneza,Londres ou Tirana.

Na bagagem da vida, leve apenas a felicidade. Na bagagem de mão, a paixão.

ACREANAS


terça-feira, 1 de janeiro de 2013

O QUE EU ASSISTI EM 2012


SYRIANA
BROADWAY DANY ROSE
BANANAS
O QUARTO DO FILHO
MILK
CRIMES E PECADOS
NEBLINAS E SOMBRAS
VIDAS AMARGAS
MONSTROS S/A
GARFIELD
A DAMA OCULTA
MAMÃE FAZ CEM ANOS
O FILHO DA NOIVA
MAIS QUE O ACASO
ASSIM CAMINHA A HUMANIDADE
SANEAMENTO BÁSICO
ANTES QUE O DIABO SAIBA QUE VOCÊ ESTÁ MORTO
MADAME BOVARY
ADEUS,MENINOS
DEU A LOUCA NOS BICHOS
O BATEDOR DE CARTEIRAS
ROMA,CIDADE ABERTA
ACOSSADO
A REGRA DO JOGO
MAMMA ROMA
A LIBERDADE É AZUL
LILLI MARLENE
O ÚLTIMO TANGO EM PARIS
TOLERÂNCIA
A COR DO PARAÍSO
SODOMA E GOMORRA
CORALINE
ÁGUA PARA ELEFANTE
A MULHER DE PRETO
BRANCA DE NEVE E O CAÇADOR
OS HOMENS QUE NÃO AMAVAM AS MULHERES
CURVAS DA VIDA
O DISCURSO DO REI
HOMENS DE PRETO III
360
A MENINA QUE BRINCAVA COM FOGO
A FORÇA DA AMIZADE
INTOCÁVEIS
COSMÓPOLIS
ROB ROY
TROPA DE ELITE 2

O QUE EU LI EM 2012



 NO PAÍS DAS SOMBRAS LONGAS - Hans Ruesch
TRÊS MULHERES – Robert Musil
CONTOS RUSSOS
A METAMORFOSE – Franz Kafka
ESTÓRIAS ABENSONHADAS – Mia Couto
STEVE JOBS
CADA HOMEM É UMA RAÇA – Mia Couto
HISTÓRIA DA FILOSOFIA – Bernardete Siqueira Abrão
RUA DESCALÇA – José Mauro de Vasconcelos
SARGENTO GETÚLIO – João Ubaldo
O LOBO DA ESTEPE – Herman Hesse
RAGTIME – E.L.Doctorow
NOS BASTIDORES DO PINK FLOYD – Mark Blake
HISTÓRIAS EXTRAORDINÁRIAS – Edgar Allan Poe
CLINT EASTWOOD (NADA CENSURADO) – Marc Eliot
O ESTRANGEIRO – Albert Camus
OS JORNALISTAS – Honoré de Balzac
ORGULHO E PRECONCEITO – Jane Austin
O RETRATO DE DORIAN GRAY – Oscar Wilde
VAMOS ACENDER O SOL – José Mauro de Vasconcelos
A PAIXÃO PELOS LIVROS
UMA DUAS – Eliane Brum
CLUBE DOS ANJOS(A gula) – Luís Fernando Veríssimo
DEVORANDO SHAKESPEARE(A décima segunda noite) – Luís Fernando Veríssimo
DOIS IRMÃOS – Milton Hatoum
ENTRE DUAS SOMBRAS – Luigi Pirandello
O APANHADOR NO CAMPO DE CENTEIO – J.D.Salinger
O ANALISTA DE BAGÉ – Luís Fernando Veríssimo
O DIÁRIO DE UM BANANA (A gota d´água) –Jeff Kinney
OS CAVALEIROS DE PLATIPLANTO – José J.Veiga
PAN – Knut Hamsun
UM LUGAR NA JANELA – Martha Medeiros
DIÁLOGOS IMPOSSÍVEIS – Luís Fernando Veríssimo
O TEMPO E O VENTO – O Continente I – Érico Veríssimo
O TEMPO E O VENTO – O Continente II – Érico Veríssimo
KUNF FU – Um caminho para a saúde física e mental – Gabriel Pires de Amorim
SOMBRA DE REIS BARBUDOS – José J.Veiga


Arquivo do blog